quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Pelo direito à comunicação

Se você acompanha este e vários outros blogs espalhados pela internet nacional, gosta de iniciativas inovadoras e acha que o acesso à informação é uma das necessidades básicas na construção de uma sociedade mais democrática e antenada ao que ocorre ao seu redor, então você precisa conferir o I Encontro Nacional sobre o Direito à Comunicação, que ocorre entre os dias 09 e 11 de Fevereiro de 2012 em Recife, na Universidade Católica de Pernambuco. As inscrições são gratuitas e vão até o dia 30 de Janeiro. 

O evento é realizado pelo Centro de Cultura Luiz Freire, uma ONG germinada entre os casarões antigos da cidade histórica de Olinda, em pleno regime militar, conhecida pelo seu trabalho de atividades culturais e desenvolvimento comunitário. Se você estiver andando pela Marim dos Caetés, vale à pena fazer uma visita e conferir os projetos em andamento, com destaque para ações educativas na área de políticas públicas em defesa e promoção dos direitos humanos, da educação pública de qualidade e da democratização dos meios de comunicação.

E o que diabos vem a ser "democratização da comunicação"? Em poucas palavras, isto envolve a possibilidade de recebermos e produzirmos informações, assim como o desenvolvimento de vias alternativas que podemos utilizar e atingir mais pessoas de forma positiva e pró-ativa. E nós temos muito mais a ver com isso do que imaginamos. 

Você sabia que o espaço ocupado pelas emissoras nas ondas captadas pela antena da sua televisão e do seu rádio é uma concessão pública? E que o povo tem (ou pelo menos deveria ter) o poder de debater e intervir no que é transmitido? Sabia que as rádios comunitárias, cuja proposta é levar informação às comunidades, contribuindo com o seu crescimento, são praticamente metralhadas juridicamente pelas rádios comerciais, que por sua vez deixam de cumprir vários pré-requisitos descritos na lei? Sabia que existe um Plano Nacional de Banda Larga em andamento? De que forma o brasileiro pode fazer uma leitura crítica da mídia?

Estes e outros questionamentos serão expostos e discutidos por grandes nomes como Venício Lima (UnB), Ana Veloso (Unicap), João Brant (Coletivo Intervozes), Ayelén Sofia Cabo (Rede Argentina de Comunicação Alternativa), entre outros. 

E SE EU QUISER FALAR, TAMBÉM??

Se você for estudante ou profissional que deseja ir além de assistir às palestras, o encontro é aberto à apresentações de pesquisa, relatos de experiência, oficinas de comunicação e cineclube, por meio de atividades autogestionadas. Em outras palavras, você inscreve o seu projeto, e tem a inteira responsabildiade na definição do formato, palestrantes convidados ou não, registro da atividade. A organização do encontro se compromete a garantir o local para a realização da atividade e a divulgação dela.

Para participar com uma atividade autogestionada, você tem até o dia 20 de janeiro pra se inscrever, através deste link.

Para participar como ouvinte, você tem até o dia 30 de janeiro para se inscrever neste link. Ambas as inscrições são GRATUITAS.

Um comentário:

  1. Que boa iniciativa! São coisas que realmente deveríamos nos ater. Muito interessante quando você falou da concessão pública que por muitas vezes nem percebemos.

    ResponderExcluir