terça-feira, 5 de abril de 2011

ROBERTA SÁ PEDE A BÊNÇÃO DO SAMBA DE ROQUE

Se você esteve em contato com a programação das emissoras FMs mais populares de sua cidade, com certeza já deve ter ouvido alguma composição de Roque Ferreira. Baiano, nascido em Nazaré das Farinhas, deu vazão à sua veia artística aos 14 anos, quando escreveu as primeiras composições musicais. De lá para cá, seu talento contemplou diversas áreas com sua criatividade: Formado em Publicidade e Propaganda, trabalhou no ramo por vinte anos, e também enveredou pela literatura, com dois livros, "As sete faces da lua" (Contos) e "Ossos de borboleta" (Romance). Mas a paixão pela música falou mais alto, e o resultado deste casamento é uma carreira bem-sucedida e respeitada de sambas gravados pela grande maioria de artistas que se debruçam sobre este gênero musical, entre eles Clara Nunes, Beth Carvalho, Martinho da Vila, Dudu Nobre, Perdo Luís e a Parede, João Nogueira, Zélia Duncan, Maria Bethânia e Zeca Pagodinho, o seu intérprete de maior sucesso.

 


Este baiano do Recôncavo é autor de algumas das canções mais populares da carreira de Zeca Pagodinho, emplacados na última década: "Água da minha sede" e "Samba pras moças". Quem não reconhece de imediato o início desta última música, que entoa "Incandeia, Incandeia..."? Compositor hábil e inquieto, Ferreira encontra-se em constante ebulição criativa, tendo, até hoje, mais de 400 canções gravadas, entre artistas da velha guarda e os da nova geração, alcançando o status de "fábrica de sucessos", para quem deseja emplacar nas paradas radiofônicas.

Pois foi justamente este clima que contagiou a potiguar Roberta Sá, que lançou no ano passado o CD "Quando o canto é reza", totalmente dedicado às canções de Roque Ferreira. O disco é resultado de um longo processo de pesquisa e viagens da cantora para absorver o espírito criativo de Roque in loco. O compositor não esconde de ninguém que o seu samba é proprio do lugar onde vive, por isso, é necessária uma sintonia e um convívio com o seu universo para que sua música saia do jeito que foi concebida. Ao escutar um samba de Roque Ferreira, a imagem que geralmente vem à mente do seu ouvinte é justamente uma animada roda de samba num quintal com cores e cheiros bem brasileiros, onde a felicidade assume a forma de sorrisos e abraços generosos com mesas fartas de amigos.

Ironicamente, este foi o ponto da discórdia entre o mestre e sua pupila: Após escutar o CD, Roque Ferreira assumiu publicamente que achou o resultado final bem diferente do que ele está acostumado a imprimir em seus sambas. Acompanhada do Trio Madeira Brasil, composto por Marcello Gonçalves (violão de sete cordas), Zé Paulo Becker (violão e viola caipira) e Ronaldo do Bandolim, o disco é uma releitura leve e delicada do universo dos sambas de roda, mas nem por isso menos belo.


Composto por 13 faixas, sendo oito inéditas e cinco regravações, que impressiona quem está acostumado com o formato tradicional, que prima pela percussão e o gingado ritmado. Roberta Sá e o Trio Madeira Brasil conseguiram abraçar o Brasil, dando às composições de Roque Ferreira as diversas caras musicais que compõem a cultura brasileira: as harmonias dos sambas-de-roda puderam ser relidas na cadência do choro, na alegria nostálgica do maxixe, na força mítica do ijexá e do afoxé, e no encanto praieiro da ciranda. "Água da minha sede", por exemplo, tornou-se um belo maracatú, e o melhor é que esta desta maneira, esta música soa como se realmente tivesse sido concebida para este ritmo pernambucano, que se mostrou num casamento perfeito do romantismo da letra, com os cordões do Madeira Brasil e o discreto batuque ao fundo, que dão à canção um clima etéreo e alegre.



Considerado um dos melhores lançamentos de MPB do ano passado, "Quando o canto é reza" aporta em Recife nesta sexta-feira (08/04), com um show dentro do Projeto MPB Petrobrás, às 21h, no Teatro da UFPE. Quem abre o show é o Trio Raízes do Choro.

PROMOÇÃO:

E para comemorar, a Cajumanga vai sortear "Quando o canto é Reza" nesta sexta -feira! E se você for fã da Roberta e está planejando ir assistí-la, o CD será entregue no Teatro da UFPE!

Para isso, basta você seguir a gente no Twitter e dar RT na nossa mensagem, respondendo ao seguinte enigma: Apesar deste disco, esta não é a primeira vez que Roberta Sá grava composições de Roque Ferreira. Em qual disco de sua carreira ela cantou o sambista baiano pela primeira vez e qual o nome da música?

RESPOSTA:

Basta dar um google em "Roberta Sá + Discografia" e responder, gente! Quer colher de chá mais doce que esta?


SHOW:

Roberta Sá - quando o canto é reza
Participação do Trio Madeira Brasil e Trio Raízes do Choro
Teatro da UFPE, 08/04/2011 - 21h
Projeto MPB Petrobras
Convites: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada)
Realização: Caderno 2 Produções Artísticas
Apoio: Lei de Incentivo à Cultura – Ministério da Cultura

VENDAS DE INGRESSOS:
Lojas Morana (Shopping Recife e Plaza) e Bilheteria do teatro.

INFORMAÇÕES: 3231-5196

Nenhum comentário:

Postar um comentário