segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

TESOURO MUSICAL DE CARLINHOS BROWN

O que é a arte no Brasil? Quais são os limites para a sua atuação? Se olharmos com atenção, veremos que a verdadeira arte desconhece qualquer tipo de muro que a separe do resto do mundo, ou que a limite a uma simples classificação. Ela se traduz nas manifestações culturais de um povo, em determinado contexto social e tecnológico. Um artista, no sentido pleno da palavra, reconhece que o produto final da sua sensibilidade é fruto de sua relação intensa com todos os aspectos que compõem o universo no qual está inserido, e por isso mesmo é impossível fixar-se numa só atividade: Um artista é por si só um empreendedor dos anseios da alma, ele transforma e é transformado pelo mundo, num ciclo de retroalimentação que só traz benefícios de proporções globais.

Carlinhos Brown é um desses artistas. Percussionista, compositor, cantor, produtor e agitador cultural. Para muitos, conciliar estas atividades parece impossível, mas se prestarmos bastante atenção, veremos que elas se completam e fazem parte de um todo.

Mas por que precisaríamos saber de tudo isso para falar de Brown? A resposta é simples: Para reconhecer a riqueza de sua obra e não cair no erro de pôr um rótulo em seus trabalhos. Nascido na Bahia, lapidado no mundo da música por Osvaldo Alves da Silva, o Mestre Pintado do Bongô, e tendo a percussão do candomblé como um forte referencial, seria fácil colocá-lo na prateleira da Axé Music, termo cunhado nos anos 90 e convenientemente abraçado pela indústria fonográfica brasileira, que serviu para colocar num só balaio toda uma vasta cartela de ritmos e manifestações musicais afro-brasileiras que possuem o seu valor. Em outras palavras, seria como chamar todo nordestino de Paraíba, ignorando todas as outras culturas que compõem a região mais ensolarada do país.

Por isso é que seus novos trabalhos, "Diminuto" e "Adobró", lançados simultaneamente no final do ano passado, fogem de qualquer tentativa de banalizar ou simplificar o vocabulário rítmico que Carlinhos Brown acumulou durante a sua vida.

Estes projetos refletem uma fase de amadurecimento, tanto como compositor, quanto como instrumentista. Para quem apenas lembra do Brown enquanto mentor da Timbalada e seus hinos carnavalescos tocados à exaustão nas FMs Brasil afora, "Diminuto" traz a porção mais engajada com a poesia musicada, testada e aprovada em trabalhos anteriores, como nas parcerias com Marisa Monte e Arnaldo Antunes. Mas não se engane. Este novo disco não tem nada de Tribalistas. Repleto de influências de Dorival Caymmi, Batatinha, Caetano Veloso e Tom Zé, este novo trabalho apresenta o samba se reunindo com outros ritmos, como o bolero "Mãos Denhas", com a participação de Chico Buarque, enveredando pelo reggae de "Verdade, uma ilusão", e até uma toada sertaneja composta em parceria com Arnaldo Antunes.

Meticulosamente trabalhado no quesito de harmonias e letras, "Diminuto" entrou para as principais listas de melhores do ano de 2010 e é considerado por muitos o melhor trabalho de Brown até hoje. Um dos destaques é a alegre "Você merece Samba", uma das faixas de maior sucesso entre os fãs.






Já o disco "Adobró" vem da vontade que Carlinhos Brown sempre teve de fazer um som que remetesse ao início da música baiana como a conhecemos hoje, mas segundo ele próprio, sem a pressão e a preguiça que marca presença em outras bandas, que apostam em fórmulas focadas no sucesso e que acabaram por banalizar a axé music.

Embora seja mais festivo que "Diminuto", "Adobró" possui mais ritmo do que percussão. E não foi feito pra agradar. Ao escutar o disco, tanto pelo cuidado com as letras, os arranjos e a produção, percebe-se que ele está correndo por fora do que é feito atualmente, com respeito aos ouvidos e ao intelecto de quem se aventura por suas canções. Letras como a de "Tastatá" são como um oásis num deserto de clones musicais de letras fáceis e rimas de duplo sentido que se instalou no axé da última década:

"Um a um, popular
Viva a vida vai passando com um buquê
Enquanto houver na porta da frente um santo valente que vai nos valer
Liga a língua, a canção e mande ver
Sustente os desejos como um combatente
Resposta urgente é cocada no dente..."

Entre as 11 faixas de Adobró, uma tem um sabor especial para o músico. É "Odô Amin", uma saudação totalmente escrita em Iorubá por Brown, com toques de música eletrônica. Segundo o artista, Os orixás têm que estar onde as pessoas buscam comunicação. E por que não na boate? A música é uma manifestação espiritual, então, nada mais natural que Iemanjá e companhia estejam presentes na pista de dança, interagindo conosco.

Mas segundo alguns fãs, a aposta que mais chega perto de uma proposta de hit radiofônico é "Tantinho", uma letra romântica que se inicia com a seguinte proposta:

"Fiz esta canção em coma de amor..."

Com uma pegada rítmica que lembra um reggae mais acelerado é uma música daquela categoria que gruda no ouvido e na memória. Pode apostar que terá presença nos principais points praianos deste verão, assim como versões covers em vários shows de bandas conterrâneas de Brown ao longo do ano.





Para Carlinhos Brown, o que se vê na música brasileira atualmente é a falta de coragem para inovar, experimentar, e isso não é culpa somente dos artistas. O público e os meios de comunicação ajudaram a formatar o que se ouve, e para que haja essa renovação, é preciso um esforço de todas as partes envolvidas para que se provoquem e demandem essa mudança, que já existe, mas não encontra espaço.

Conheça os novos trabalhos de Carlinhos Brown, nas palavras do próprio, em dois vídeos feitos especialmente para apresentar os novos discos:






"Diminuto" e "Adobró" são o grito de afirmação de um artista que é a personificação da inquietude e da curiosidade necessárias para o encontro com novas fontes que possibilitem a renovação cultural. Ouça sem moderação e sem preconceito.

Por Juliano Mendes da Hora
Foto Fernando Young

Um comentário:

  1. como sempre dicas maravilhosas! carlinhos Brow é um acalento aos ouvidos. SEmpre aguardo com muita ansiedade pelos seus posts. Estamos planejando algo e logo entrarei em contato com vc.

    ResponderExcluir