terça-feira, 11 de janeiro de 2011

ENTRE A ILEGALIDADE E A NECESSIDADE

Elas estão em praticamente todas as redondezas de centros acadêmicos, e por muitas vezes, é fácil encontrá-las dentro das universidades, indo de encontro à legislação que protege as obras que servem de consulta a milhares de estudantes. A cópia de livros é uma atividade muito comum em faculdades de todo o país, mas segundo a lei, pode ser considerada crime, com uma pena de 2 a 4 anos de prisão. A legislação diz que é permitida apenas a cópia de “pequenos trechos” para “uso privado”, embora não estabeleça os limites desses trechos.


Muitas instituições fazem uma interpretação da abrangência da lei, ao deixar materiais disponíveis em pastas nos estabelecimentos ao redor da universidade, para que os alunos possam copiá-los: trata-se de seguir a falta de clareza da lei. Se a lei afirma que é possível copiar ‘pequenos trechos’, aos professores cabe decidir o quê e quanto deste conteúdo será disponibilizado.

A fiscalização ocorre de tempos em tempos, e no meio disso tudo, está o trabalhador que faz desta prática, o seu meio de susbsistência. A Cajumanga foi bater um papo com pessoas que trabalham com cópias. Mesmo nao querendo se identificar, contaram um pouco de seu trabalho:




Por Juliano Mendes da Hora

Nenhum comentário:

Postar um comentário