sexta-feira, 8 de outubro de 2010

DE MALAS PRONTAS E CORAÇÃO ABERTO

A vida é uma coleção de inícios e finais. Geralmente começamos algo melhor do que terminamos. Talvez por que não fomos orientados a ver que é possível terminar as coisas de um modo tranquilo.

O segredo é reconhecer a si mesmo e suas próprias limitações durante o percurso, seja ele qual for. Desta forma, você está se respeitando e respeitando a outra parte interessada do processo. Pode ser seu namorado, seu chefe ou seu colega de trabalho, alguém de sua família, um amigo, não importa. Num mundo em que tudo pode surpreender e as relações passam por um realinhamento de valores, a única pessoa que devemos ter a hombridade de conhecer bem somos nós mesmos. Uma vez que isto é alcançado, aquilo que poderíamos classificar de obstáculos tornam-se apenas cascalhos pelo caminho.

Quando nos conhecemos, podemos ponderar melhor a respeito daquilo que faz bem a nós mesmos, e consequentemente aos outros. Os outros, que nem são tão "outros" assim, sabe por quê? Por que eles também são parte de nós. Nos adicionam novas idéias, nos trazem novas possibilidades e contribuem com a construção e fortalecimento da nossa essência. Claro, me refiro àqueles que pertencem ao nosso círculo.

E quanto àqueles que não desejamos nem chegar perto? Se você consegue identificá-los, é um bom sinal de que você pelo menos sabe o que e quem te faz bem ou não.

Por isso que é tão importante esta visita para dentro de si: Para que aprendamos a gostar de nossa própria companhia, antes da companhia de qualquer outra pessoa. Para que saibamos entrar e sair de nossas histórias, mantendo apenas o melhor delas em nossa bagagem. O que esperamos dos outros não é tão importante quanto o que esperamos e desejamos de nós mesmos.

Por Juliano Mendes da Hora

Nenhum comentário:

Postar um comentário