terça-feira, 14 de setembro de 2010

A ARTE ILUMINADA DE NINHOL

Em minhas fuçadas na internet dei de cara no Flickr.com com uma imagem que me parecia um vitral, lindo, colorido, suave... corri pra ver mais imagens, me aprofundei, procurei... quem era o dono daquela arte encantadoramente colorida e religiosa. Dei de cara com um nome, tão simples como a pessoa que meses depois fui conhecer em BH local onde mora o NInhol. Pensei que era mineiro, mas seu sotaque não escondia sua origem e força Nordestina, conterrâneo do Cajumanga sua arte vem de Olinda PE. Nos tornamos amigos, junto a uma rede de admiradores do seu trabalho. Unindo esforços estamos trazendo pela segunda vez uma exposição sua a São Paulo e estamos nesta matéria apresentando este artista que merece ser conhecido pelo mundo afora. Então com vocês, Ninhol, o dono dos “vitrais com uma luz santa”.


A ORIGEM DO ARTISTA:


Ninhol, apelido de infância de Jamerson Lima, natural de Olinda-PE é um artista gráfico/plástico contemporâneo que tem um pé nas imagens que povoam seu imaginário e o outro na modernidade.

Desde pequeno o menino Ninhol acompanhava seus familiares nas procissões católicas, comuns em Olinda e nas peregrinações a Juazeiro do Norte e Morro da Conceição em Recife.

Mas seu olhar sobre as enormes e sagradas imagens dos santos, cores, fitas, velas, anjos e Divinos, misturados em outro momento aos famosos bonecos gigantes, frevos e maracatus do colorido e pagão carnaval de sua terra, era a construção de um imaginário próprio e popular.

Dessa mistura, do sacro e profano, desse sincretismo natural do povo brasileiro, nascem as imagens de Ninhol, com cores extremamente harmônicas, traços firmes, mas com leveza e serenidade de quem busca um milagre, ou oferece um ex-voto como agradecimento por uma graça alcançada.


Recheados de símbolos e signos, as imagens de Ninhol nos contam histórias, como se o seu imaginário, suas lembranças de infância e a pesquisa sobre os diversos personagens populares se quebrassem em mil pedaços de vidro colorido e se remontassem harmonicamente em sua obra.


OS VITRAIS E A RELIGIOSIDADE POPULAR DE SUA OBRA


“No Nordeste brasileiro, esta relação é fortemente sentida. Num processo incessante de trocas simbólicas, a religiosidade exprime a multiplicidade cultural da formação das gentes, instituindo uma racionalidade própria, imprescindível às transposições culturais de dogmas instituídos.

Conscienciosamente, o artista Ninhol com seus vitrais, suporte tão entrelaçado à arquitetura dos templos católicos europeus, retratando passagens bíblicas, propõe-se a observar e rememorar vivências e transpô-las aos suportes de trabalho, como expressões vivas, revelando a relação da fé e da devoção popular, onde volumes e cores recompõem cenas poéticas de um universo sacralizado, mítico.

Para tanto, a celebração destes elementos, através da plasticidade dos vitrais do Ninhol, evoca o papel de difundir, fortalecer, comunicar e preservar a memória cultural, onde as obras produzidas, neste caso, funcionam como mediadores e portais de acesso à arte e a um importante veio cultural, inegável e riquíssimo, permeado por distintas visões de mundo, das gentes. ”

Marcela Wanderley –
coordenadora do Museu de Arte Popular de Recife





CANDEEIROS DO NORDESTE: A EXPOSIÇÃO



“Eu careço de luz o ano inteiro
Minha gente inda dança fevereiro
E eu correndo na rua a lhe chamar, candeeiro.
Candeeiro A estrada já vai escurecendo
Minha gente se olha e não tá vendo
Querosene acabou, vou lhe chamar, candeeiro
Cor dourada que ilumina o meu peito
Essa dor, candeeiro, não tem jeito
No vazio não tem como queimar, candeeiro
Candeeiro Vó me disse, inda era pequenina
Vento bate com força na cortina
Candeeiro no chão pode queimar, candeeiro.”

Letra de "Candeeiro", interpretada por Teresa Cristina

A Exposição: Candeeiros do Nordeste lança luz, de uma forma colorida e instigante, nas tradições culturais do Nordeste, numa incessante troca de símbolos, exprimindo a multiplicidade cultural da sua gente. Ninhol através de seu “candeeiro” ilumina e exprime o legado tradicional do seu grupo cultural, escutando a tradição e com o olho no futuro, mostrando ao mundo sua gente, como um porta-voz da arte, a complexa e profunda experiência coletiva do ser Nordestino.

Convidamos a todos a conhecer estes personagens fantásticos, serenos e coloridos pela arte de Ninhol.

E-mail: ninhol@hotmail.com
Site: www.ninhol.com
Flickr: www.flickr.com/fotos/ninhol

Serviço:
Exposição: Candeeiros do Nordeste – Ninhol
Livraria Cultura do Shopping Villa Lobos – São Paulo - SP
Inauguração dia 17 de Setembro de 2010
Período: 18 de Setembro a 10 de Outubro
Endereço: Av. Nações Unidas, 4777 - Jardim Universidade Pinheiros - São Paulo/SP
Horário de funcionamento da loja: Segunda a Sábado - 10h às 22h
Domingos e Feriados - 14h às 20h


Por Jefferson Duarte

Nenhum comentário:

Postar um comentário