quarta-feira, 7 de julho de 2010

INTERNET: MOLHO AGRIDOCE DOS RELACIONAMENTOS

Responda francamente: a tecnologia ajuda ou atrapalha os relacionamentos? Já se foi o tempo que a internet oferecia o conforto do anonimato e uma utópica segurança em relação às atividades praticadas no duelo entre privacidade e exposição. A linha tênue entre o virtual e o real foi rompida. Hoje, sabe-se que as ferramentas de comunicação recriam os passos das pessoas na virtualidade, fazendo com que sites como o Orkut sejam um dos motivos para brigas entre casais e rompimentos definitivos.

Foi-se o tempo em que as redes sociais poderiam ser analisadas apenas como fenômenos de comunicação. Seus usuários as têm como uma extensão de seus hábitos fora do mundo virtual. No Orkut, um dos mais populares sites de relacionamento no podem ser encontradas comunidades como: “Orkut causa ciúmes no namoro”, “Orkut atrapalha o meu namoro”.

Como explicar isto? A sociedade contemporânea transportou para a rede mundial de computadores o conceito de mobilidade e multiplicidade: Podemos ser contactados e carregar nossos dados onde quer que estejamos, na forma de pen drives, MP3 players, ou celulares com recursos avançados, que recortam e reconstroem a realidade de acordo com a nossa visão de mundo. O posicionamento do usuário no território eletrônico não se dá no plano físico, mas sim, na infinidade de contextos que permitem que se construa múltiplas identidades, que se encontram em constante mutação. A prova disso é a enorme quantidade de blogs e perfis cujos protagonistas não existem na realidade, podendo disseminar determinados tipos de mensagens ou simplesmente proporcionar uma liberdade anônima ao contactar pessoas ou expressar opiniões.

Por conta disso, as relações humanas de um modo geral estão naturalmente expostas à todo tipo de intervenção. Principalmente os namoros e casamentos. Ex-namorados, paqueras, amigos e colegas de trabalho figuram na fauna presente nas diversas histórias de ciúmes e mal-entendidos amplificadas de forma global pela internet.

Por que os sites de relacionamento podem representar uma ameaça aos casais? O perfil de um usuário é construído por ele mesmo, baseando-se em como gostaria de ser ou de ser visto. geralmente, apenas o melhor é exposto ao público: suas qualidades adquirem proporções superlativas, de modo a amenizar ou omitir defeitos que invariavelmente são apresentados num contato físico. Por isso, os usuários vestem a idealização que outros buscam.

A internet tem o poder de transcender limites temporais e culturais, é acessível e democrática. É fato que ela aproxima as pessoas, mas também as distancia da realidade: "eu nunca achei que pudesse ser punida por uma brincadeira que tirei com uma colega de classe", afirma D.L., internauta que foi demitida da empresa onde trabalhava pela "brincadeira" que custou a reputação e a privacidade de uma colega de trabalho, protagonista de um vídeo constrangedor captado durante uma confraternização, veiculado no portal YouTube e disseminado por sites como Orkut e Twitter.

Nos relacionamentos românticos, as proporções tomadas por fofocas, insegurança e até mesmo conselhos de amigos acabam por ultrapassar a noção de esfera pública e privada. Segundo a psicóloga Wilma Albuquerque, quando esses fatores são aliados à velocidade proporcionada pela tecnologia, as relações humanas também adquirem contornos mais dinâmicos, mas não necessariamente de uma forma positiva. "Pessoas emocionalmente imaturas encontram neste território um caminho fértil para o efêmero. Por não estarem preparadas para lidar com os relacionamentos de forma madura, é muito comum uma alta rotatividade de parceiros, pois para elas, é muito mais fácil deixar um produto na gôndola e partir em busca de outro mais atraente, exatamente como numa loja, onde há uma variedade imensa de cores e formas. Tornamo-nos objetos a ser consumidos."

E você, o que acha? Nós da Cajumanga queremos saber as suas experiências com namoro e tecnologia. Qual o limite estabelecido para que a vida virtual não interfira na real? Ou serão as duas indissociáveis? Entre em contato com a gente pelo Twitter!

Por Juliano Mendes da Hora
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário