sábado, 12 de junho de 2010

JOVENS ATORES DE ANTIGAMENTE

Astros da atualidade ralaram muito para alcançar a fama e chegaram até a ter papéis bem pouco nobres em sua carreira.



Filmes como Harry Potter, High School Musical e a saga Crepúsculo têm em comum o fato de terem revelado uma grande quantidade de astros adolescentes como Daniel Radcliffe, Emma Watson, Robert Pattinson, Taylor Lautner, Kristen Stewart, Zac Efron, Vanessa Hudjens e outros. Obviamente, o talento de cada um é indispensável para o estrelato, mas um fator que ajudou bastante a colocar seus rostos bonitos na mídia foi os filmes serem baseados em grandes best sellers mundiais ou trazerem a marca dos Estúdios Disney, que por si só já é sinônimo de sucesso.

Comparado com a geração anterior, a Internet também é uma ferramenta bastante útil que ajuda na divulgação de jovens talentos, coisa que os astros veteranos não tiveram quando tinham a mesma idade. Hoje em dia, seus nomes já brilham na calçada da fama, mas eles precisaram amargar muito para se tornarem grandes nomes de Hollywood. Listamos a seguir alguns nomes para relembrar alguns papéis não tão glamourosos que esses atores e atrizes precisaram interpretar e nos quais provaram que eram bem mais que rostinhos bonitos.
Há algumas semanas, falamos do remake de “A Hora do Pesadelo” e lembramos a participação de Johnny Depp no filme original de 1984. Com um topetão bem anos 80, o então jovem ator mostrava seu talento num papel secundário e de pouco destaque. O sono perdido – com o perdão do trocadilho – nesta produção deu resultado e Depp ganhou o papel de protagonista na comédia Férias do Barulho (Private Resort, 1985), reprisada à exaustão no Cinema em Casa do SBT.


Ele e Rob Morrow eram dois boas-vidas que se hospedam num resort e saem à caça das mais belas mulheres, mas só arrumam confusão. Depp alcançou o estrelato na série Anjos da Lei (21 Jump Street) antes de iniciar sua parceria com Tim Burton em Edward Mãos de Tesoura (Edward Scissorhands, 1990), enquanto Morrow não teve a mesma sorte e continua até hoje relegado a papéis pequenos. Ele pode ser visto na série policial Numb3rs, ou melhor, podia, já que a série foi cancelada este ano.

Outro grande astro de Hollywood, Robert Downey Jr. teve uma carreira de altos e baixos. Todos sabem de seu problema com a bebida, que o manteve afastado das telas por muitos anos. A redenção do ator veio, ironicamente, com outro alcoólatra: Tony Stark, alterego do herói Homem de Ferro. Downey mostrou que é um grande ator e transformou os dois filmes do Vingador Dourado num sucesso absoluto, totalmente à vontade no papel do empresário. Mas antes...


Quando era ainda adolescente e usava apenas o nome de Robert Downey, o ator pagou um micão no filme Tuff Turf (1985), drama estrelado por James Spader. No filme, ele era um colega do rebelde Morgan Hiller (Spader) e tocava sem camisa numa banda do colégio. Além disso, também fez uma ponta no filme Mulher Nota 1000 (Weird Science, 1985).


Em 1989, já com o “Jr.” devidamente adicionado ao seu nome, teve um papel melhor na comédia romântica O Céu se Enganou (Chances Are). Ele era o homem que morre, mas volta no corpo de um jovem e, para reconquistar sua esposa, se aproxima da própria filha, que acaba se apaixonando por ele. Confuso, mas divertido.




E já que mencionamos Mulher Nota 1000, dele saiu outro astro dos dias atuais: Anthony Michael Hall. Hall estrelou a série O Vidente (The Dead Zone) baseada na obra de Stephen King A Hora da Zona Morta. Mas, em 1985, ele e Ilan Mitchell –Smith (quem?), tentavam criar a mulher perfeita no computador, quando a informática estava engatinhando. Se com a máquina daquela época os dois nerds criaram Kelly LeBrock, imagine o que fariam com as máquinas de hoje...



Hall também estrelou o drama O Clube dos Cinco (The Breakfast Club, 1985), que conta a história de cinco jovens rebeldes que são obrigados a passar o dia inteiro trancados no colégio e descobrem uma série de afinidades entre si. De afinidades em afinidades, Hall esteve com Johnny Depp em Edward Mãos de Tesoura. Coincidência ou destino?



A eterna Mônica de Friends também teve seus dias de coadjuvante. Em Mestres do Universo (Masters of The Universe, 1987), Courteney Cox é a jovem sem sal que encontra a chave mágica que pode causar a destruição da terra e atrai para cá os exércitos de He-Man (Dolph Lundgreen) e Esqueleto (Frank Langela), numa tentativa frustrada de transformar o clássico herói dos desenhos animados em carne e osso. Antes, porém, ela já havia estrelado a série Misfits of Science, que no Brasil foi chamado de Curto-Circuito e animou as tardes da Globo na Sessão Aventura. Trata-se de um grupo de jovens com poderes especiais, no melhor estilo X-Men, onde Courtney era a jovem telecinética.



Falando em telecinésia e X-Men, Famke Janssen, que interpretou Jean Gray no filme dos heróis mutantes, teve seus dias de alienígena do mal em A Prova Final (The Faculty, 1998). O filme pode não ter sido tão badalado, mas teve um elenco de jovens atores que despontaram para o sucesso, como Josh Hartnett e Elijah Wood, escondido no cartaz do filme. Hartnett estreou naquele mesmo ano, com Halloween H20 e Debutante. Um début para o sucesso!


Já Elijah Wood, mais conhecido como Frodo da saga O Senhor dos Anéis (Lord of the Rings, 2001/2003), embora fosse desconhecido na época da Prova Final, já tinha uma carreira mais consolidada. Ele, inclusive, interpretou Huckeberry Finn, numa produção da Disney em 1993. Sua estreia, porém, foi em De Volta para o Futuro Parte 2 (Back to The Future Part II, 1989). Será que você é capaz de encontrá-lo?


Vistos hoje, essas participações podem parecer pouco louváveis e até engraçadas, mas foram o passo inicial para que esses atores e atrizes galgassem os degraus da fama. Afinal, mesmo com todas as facilidades do mundo de hoje e salvo raras exceções, todo mundo que quer conquistar seu espaço tem que começar de baixo. Mas daí para cima, quem determina até onde eles podem ir é o carisma e o talento de cada um.


Por Eduardo Marchiori
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário