sábado, 15 de maio de 2010

TEM JUMENTO NA PISTA!

A pequena cidade de Panelas que fica à 195 km da capital pernambucana , ficou mais movimentada do que o habitual. Nos dias 30 de abril e 1° e 2 de maio, a cidade ficou pequena para tanta gente que queria ver a tradicional 38° Corrida dos Jericos. Além da tradicional corrida , os visitantes tinham a opção de ver os shows , para esquentar as noites frias da cidade.

A festa começou na noite do dia 30, com várias bandas de forró. Comerciantes como Seu Paulo, que veio de Caruaru, comemoram a quantidade de gente que vem para garantir seu dinheiro. “Isso é muito. Não tenho o que reclamar da festa”, brincou. Assim como ele, a festa recebe vários comerciantes de outras cidades de Pernambuco, como Cupira e Quipapá, e de outros estados também, como Alagoas, Paraíba e Sergipe. Isso mostra que a festa movimenta boa parte do interior do nordeste.

As festividades no Sábado atingem o ápice da festa, que começa logo de manhã cedo, às 7h, com a distribuição de 2000kg de mungunzá, fornecendo o pique para o principal dia do evento.


Panelas: Mungunzá para vitaminar a festa

Segundo o prefeito da cidade Sérgio Miranda , a receptividade é o grande trunfo para a cidade ganhar proporção em todo país e no exterior. “Foi através das nossas representações culturais e artísticas, que já recebemos turistas de vários países do Brasil e do mundo”, declarou.

Às 10 h começou o desfile de fantasia de jerico, que é tão esperado por muitos. Um dos participantes a Dona Maria da Conceição, estava acompanhada de sua jumentinha ‘Companheira’, que estava enfeitada de livros, lápis, borrachas e outros materiais escolares. “Caminho até a minha escola sozinha, e, ela me leva e faz companhia até lá.”


Outra que chamou a atenção, foi a “Brasileirinha de Raça”, nome dado à jumentinha que foi acompanhada pelo sósia de presidente Lula e pelo homem nordestino que estava acompanhando o ‘presidente’. A fantasia foi uma alusão ao presidente da república, que foi um grande trabalhador, assim como o jerico que também não deixa de ser um trabalhador. Outros 17 participantes, integravam o desfile, que abordaram temas relativos a Copa do Mundo de 2010, que ocorrerá na África do Sul em junho. Mas esse ano não teve pra ninguém  O grande vencedor foi o jerico do José Anão, que foi representado com um boneco e garrafas de pitú de isopor em cima do animal; uma homenagem feita pelas professoras de Panelas. Zé Anão, foi o 1° vencedor do concurso em 1972, quando começou o concurso.

Após o desfile, o público conferiu apresentações culturais com o grupo de Karatê da cidade e uma apresentação de capoeira com o ‘grupo capoeirarte’ da cidade vizinha, Quipapá.

Mais tarde, a grande corrida, que reuniu por volta de 60 competidores, começou por volta das 14 hrs com corrida feminina, que foi divida em várias baterias e várias etapas, assim como na masculina. A venderora da primeira categoria foi a sergipana Maria Luiza, com seu jerico ‘Canarinho’ .

Às 15 h começou a prova masculina, que foi a mais disputada , mas que teve como campeão José Ronaldo , da cidade de Surubim com seu jerico ‘Felipe Massa’.


A festa continuou noite a dentro com outras bandas de forró. O que fica da festa é alegria e a hospitalidade do povo de Panelas de Miranda, nome completo da cidade, que souberam receber muito bem seus visitantes, os jornalistas e toda a imprensa, e fez valer o grande trunfo da cidade, segundo o prefeito.

HISTÓRIA – Em 1972 estudantes e moradores da cidade se revoltaram pelos maus-tratos e pela matança de jericos na cidade. Em homenagem a essas pessoas passou a comemorar a festa no dia 1° de maio, pois os animais são considerados símbolos de trabalho e força em Panelas de Miranda.

Confira mais fotos abaixo (Clique para aumentar):



















Marcone para a posteridade!


Texto e Fotos:

Marcone Marques

Um comentário:

  1. saudade desta cidade querida onde eu narcei muito linda cidade abrasos atodos nodestino

    ResponderExcluir