sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

TALENTO NÃO DEPENDE DE BELEZA

Cantora britânica Susan Boyle dá um tapa na cara da sociedade inserida na era da estética.















Talento é um conceito muito relativo. Mas quando o encontram, as possíveis barreiras que poderiam existir para atrapalhar o seu caminho vão diminuindo com a ajuda do reconhecimento. Infelizmente o caminho entre a descoberta de uma vocação nata e a sua devida consagração vem se tornando mais longo e penoso com o passar dos anos, por conta de camadas compostas por regras e pré-conceitos tão rasos quanto um pires.

Mesmo baseados numa visão superficial, estes muros são difíceis de serem transpostos pelo fato de grande parte da população contemporânea estar submersa numa cultura que preza por um imediatismo que alcance um forte envolvimento com as massas. E a forma mais fácil de se obter isso é através de  fatores como os apelos visuais. Altamente eficientes na comunicação, eles possuem uma abordagem indiscutivelmente forte por alcançar todas as camadas da sociedade: Desde as mais humildes, sem acesso à educação, como às mais abastadas. Você não precisa saber ler e escrever para ter acesso à informação visual. Sendo desenvolvida com estudos prévios a fim de conseguir atingir seu alvo, ela nos parece amigável e sedutora, cria desejos e ao mesmo tempo nos impõe regras. É o visual do verão, o penteado ou as roupas da novela, os bordões que viram gírias, e por aí vai.

Mas de tempos em tempos, algo vem e nos belisca, disposto a nos acordar deste sono, fazendo com que nossos olhos despertem para o óbvio: Nada na vida segue um padrão. Ela é composta de muitas surpresas necessárias em nosso aprendizado. O dia 21 de janeiro de 2009 pode ter sido apenas um dia qualquer no calendário de qualquer pessoa, mas não para a escocesa Susan Boyle de 48 anos, que subiu no palco do “Britain’s Got Talent”, um famoso programa de calouros britânico, toda desengonçada e tímida.


Apesar da aparência fora dos padrões de beleza, esse critério que é bem importante nos dias de hoje foram esquecidos quando Susan soltou seu belo vozeirão numa interpretação de “I Dreamed a Dream”, do musical “Os Miseráveis” que levou uma platéia a rios de lágrimas, emocionando a mim, a você e a Bill Gates, transformando-se no vídeo mais visto da história do Youtube (hoje perto dos 10 milhões de acessos) e da internet, que você pode acessar clicando aqui.


Susan Boyle tornou-se uma celebridade e realiza seu grande sonho que é gravar um CD . E o nome do CD não poderia ser outro a não ser “I Dreamed a Dream”, canção que a fez chegar ao topo da fama. Com 12 faixas que a consagraram, reinterpretadas com sua voz delicada e forte e com um arranjo espetacular, deixaram cada versão bem mais gostosa de se ouvir, como: “Cry Me A River”, de Arthur Hamilton. O disco traz ainda o clássico “Wild Horses”, dos Rolling Stones, “You’ll See”, de Madonna, “Daydream Believer”, dos The Monkees, “How Great Thou Art” de Elvis Preslley, “The End Of The World” de Davis Skeeter, a bela canção de natal “Silent Night” (nossa “Noite Feliz”) e ainda traz uma faixa exclusiva “Who I Was Born to Be”, que foi composta especialmente para Susan.

Vale a pena escutar!

O reconhecimento do talento indiscutível de Susan abre espaço para a reflexão: Quantos talentos não tiveram a sua chance pelo fato de estarmos inseridos numa cultura de gôndolas e embalagens? Mande sua opinião! Converse com a gente pelo Twitter!


Por Allysson Borges

Nenhum comentário:

Postar um comentário