segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

CAIA NAS REDES: ENTENDA O PODER DO TWITTER














Apresentando a última parte da nossa viagem pelas redes sociais, chegamos à sensação do ano de 2009: O Twitter, ferramenta de postagens textuais mínimas que iniciou suas atividades em 2006, e aos poucos veio consolidando seu nome, atingindo o ápice de seu sucesso durante o ano de 2009. Pois foi justamente falando o idioma de uma sociedade cada vez mais dinâmica e ávida por respostas rápidas que ele respondeu à demanda por velocidade: Classificado como microblog pelos usuários, ele é um dos campeões em números de acesso na grande rede. De acordo com dados recentes da empresa Compete.com, que analisa a audiência e o tráfego de sites ao redor da rede, o microblog superou o site do New York Times e o Wall Street Journal, com 19,4 milhões de acessos, contra 15,6 milhões e 12,2 milhões dos respectivos jornais. 



Mas o que faz do Twitter algo tão atraente? Simplicidade é a palavra-chave: Um design minimalista, mensagens curtas de no máximo 140 caracteres, facilidade no cadastro e na postagem de mensagens: Não é preciso a utilização de nenhum programa nem conhecer HTML ou outras linguagens de códigos da internet.  Até de um celular ele pode ser atualizado. É justamente esta praticidade que vem chamando a atenção de vários veículos de comunicação e empresas.


 
Ivete Sangalo: Cada vez mais próxima dos fãs graças ao Twitter

A classe musical é uma das que mais exploram o potencial do microblog. Dentre as ferramentas que trouxeram a proposta de aproximar o artista de seus fãs, o Twitter é o que realmente cumpre esta tarefa. É sabido que as atualizações de blogs e contas do MySpace na maioria das vezes eram entregues aos assessores de imprensa. Ou você acha que foi a Madonna que arranjou tempo para sentar à frente do computador e lhe adicionar à lista de amigos dela? A facilidade e portabilidade de uso do Twitter praticamente enterram qualquer intermediário na troca de informações entre o artista e seu público-alvo, estabelecendo um contato direto entre eles. astros como Faith No More, Sonic Youth, Oasis, Mariah Carey e John Mayer estão conversando com seus fãs e anunciando novidades de seus próximos trabalhos e turnês. No Brasil, temos NX Zero, Ivete Sangalo, Claudia Leitte e Nação Zumbi, entre outros. Atualmente, nenhum outro serviço consegue este alcance de comunicação em tempo real. Ele ajuda a aumentar o número de acessos aos sites e a dar mais visibilidade às bandas.

O Twitter também está sendo utilizado para dar notícias importantes em primeira mão. Em Janeiro de 2009, o resgate de 155 pessoas de um avião da US Airways que caiu no Rio Hudson em Nova York foi registrado pelo iPhone de um empresário que passava no local. Além de ajudar no salvamento, ele enviou as informações para seu Twitter, a partir de seu aparelho telefônico. A imagem foi utilizada em diversos veículos e contribuiu para que outros profissionais se dirigissem ao local. No Brasil, comunicadores já fazem uso deste recurso. Diogo Mainardi, Rosana Hermann e Marcelo Tas estão entre as maiores audiências da Twittosfera.

De olho neste público, empresas estão investindo para que suas marcas estejam presentes nos Twitters mais acessados. Foi o caso da Telefônica, que para lançar o seu serviço de internet e TV por fibra óptica chamado Xtreme, selou um acordo de publicidade com Tas, onde a marca do produto é exibida no perfil, durante um ano, além de dicas de links para vídeos e outros conteúdos que seriam melhor aproveitados por quem possuísse uma banda larga mais robusta como a oferecida pela companhia. Em vez de criar um perfil corporativo, a empresa contou com a credibilidade do comunicador, o que tornou a ação atraente.

E por falar em aplicações corporativas, a pernambucana Signo Comunicação utilizou o conceito de redes sociais para melhorar a comunicação interna dos funcionários da Duarte Construções, ao elaborar no final de 2008 o planejamento estratégico para os cinco anos seguintes da empresa. Seu desafio era focar na interação entre funcionários e fortalecer a gestão pelo conhecimento, tornando mais eficiente o fluxo de informação entre departamentos. Para isso, a Signo propôs a criação da Rede Colaborativa Duarte, utilizando o serviço Ning (http://www.ning.com/) , que permite a criação de perfis, postagens de fotos, vídeos, troca de mensagens e fóruns de discussão, como no Orkut, com a diferença de ser customizável para adquirir o visual com as cores características e o logo da empresa.

A idéia conquistou os funcionários, com 100% de participação. Para este tipo de comunicação, o foco são as atividades relacionadas ao trabalho, o que trouxe melhorias na interação e no clima organizacional da empresa. Para Ana Aragão, diretora da Signo, uma comunicação interna eficiente gera funcionários bem informados: "Informação gera comprometimento e engajamento. A Rede Colaborativa já registra alguns resultados interessantes em termos de engajamento dos funcionários. No final de 2008, o portal foi usado para mobilizar funcionários em uma campanha de doações de roupas. Outro exemplo do uso da rede foi a campanha interna para dar nome ao novo empreendimento da construtora. No dia a dia, a Rede é utilizada para upload e download de arquivos, troca de mensagens, avisos, atividades colaborativas, entre outros."

O crescimento destas ferramentas é imensurável e a cada dia surge algo novo a ser desvendado. O importante agora é estudar e experimentar as possibilidades que as redes sociais podem proporcionar à sua empresa. Agências como a Armação Propaganda, de Natal, no Rio Grande do Norte, estão antenadas com os novos aplicativos e seus usuários: "Estas mídias conseguem ao mesmo tempo ser mídia de massa e ao mesmo tempo segmentada. Outro fator importante que as redes sociais permitem ao profissional de marketing é conhecer bem o seu cliente. Com a internet e estes mecanismos de relacionamento, a inserção de conteúdo é feita de maneira espontânea, ou seja, obtemos de forma gratuita informação do mercado-alvo sem grandes esforços. O importante é interpretar corretamente estes dados", revela Paulo Peres, diretor de planejamento da agência potiguar. 

"Estar apenas na internet não é mérito de nenhuma empresa, o importante é ter ações casadas e sincronizadas com outras mídias; ações consistentes, verdadeiras, frequentes e constantes. Quando feitas calcadas em um planejamento estratégico, fazem a diferença daqueles que apenas estão na internet, para aqueles que constroem uma imagem pela internet. Nova forma de entender o público, a internet é um mecanismo surpreendente do profissional que quer utilizar as redes sociais como mecanismo de construção de conteúdo e verdade para o seu cliente. Você escolhe como usar a ferramenta, mas para cada uma você tem conseqüências e níveis de informação diferentes. Não seja um papagaio digital. Não apenas repita o que os outros façam. Adote estratégias relevantes que o cliente gostará de comunicar mais e melhor e de forma relevante o que sua marca comunica", conclui Peres.


Juliano Mendes da Hora

Nenhum comentário:

Postar um comentário