quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

JOHN MAYER E SUAS CRÔNICAS DISFARÇADAS DE CANÇÕES




Em um mundo onde a nossa atenção se esvai na mesma velocidade com que nos oferecem novos avanços, tudo parece ter a urgência de ser novo e de romper com que já estava estabelecido, a fim de garantir uma estabilidade meteórica até a descoberta da próxima novidade. Taí Madonna, a maior profissional do marketing que o mundo já conheceu, que não nos deixa mentir. Reinvenção foi o termo mais difundido na última década, tornando-se a palavra-chave do século 21.

Mas enquanto alguns correm atrás da fórmula que resultará na próxima bola da vez, outros continuam a fazer o que fazem de melhor, colhendo reconhecimento e conquistando mais admiradores. É o caso de John Mayer, cujo último disco "Battle Studies", lançado em Novembro do ano passado nos Estados Unidos, chega finalmente ao Brasil em edição nacional, via Sony Music.






John Mayer é o tipo de artista que agrada justamente por não forçar a barra. Suas músicas seguem desfiando histórias e crônicas acerca das relações humanas, tendo o amor e os amigos como fonte de inspiração. As letras são tudo aquilo pelo qual você já passou, ou um dia vai passar, embaladas de uma forma bem espontânea e lírica.“Battle Studies” apresenta baladas como “Friends, Lovers or Nothing”, que grudam no ouvido com aquele delicioso som de guitarra que só o John sabe fazer.

O disco também conta com a participação - e uma lição de humildade, também - na canção “Half of My Heart", do novo estouro da música country norte americana, que faz um backing vocal bem discreto: Um doce para quem achar a doce voz da Taylor Swift nesta música! Mas como?? A história é a seguinte: John Mayer é um artista que sabe reconhecer o talento de outros, independente do tempo de experiência ou do gênero escolhido. A vencedora do melhor clipe feminino do último VMA estava em turnê, quando no dia 23 de Maio, John e seu violão subiram ao palco para uma participação especial, onde dividiram os vocais em duas canções: "Your Body is a Wonderland", de autoria de Mayer, e "Wild Horses", de autoria de Swift. Como retribuição, Taylor humildemente assume os backings na terceira faixa de "Battle Studies".

O disco é uma grande crônica de desencontros e até mesmo conselhos que John veio acumulando em suas experiências nos últimos anos: Alçado à condição de celebridade perseguida pelos tablóides, tendo sua vida íntima exposta, graças a seu envolvimento com personalidades famosas, Mayer desconversa quando lhe perguntam se há alguma porção biográfica por entre as linhas de suas novas letras.

O homem presente nas letras de John Mayer ainda não encontrou aquilo que o fará dizer: "Minha procura chegou ao fim." E com ele se confunde, ao longo de diversas entrevistas dadas que construíram a sua fama de cortejador incorrigível. E assim vemos este personagem partindo para outras tentativas, não por temer se amarrar a alguém, mas justamente por temer compromissar-se à pessoa errada.

Para quem acompanhou o desenrolar de suas idas e vindas amorosas, pode enxergar a forma honesta e simples com a qual o cantor se porta perante a temas como o amor. Em "All we ever do is say goodbye", após um rompimento, ele pergunta à sua outra metade por que ele deveria deixá-la tentar novamente, se ambas as partes estão cientes das feridas abertas e desgastes vividos que os afastaram:


"Eu comprei uma passagem em um avião
E perto da hora que ele aterrizar você já tinha ido novamente
Eu amo você mais do que as canções podem dizer
Mas eu não posso continuar correndo atrás do passado"


Definitivamente, "Battle Studies" pode ser enxergado como uma rica narrativa composta por canções que grudam e que te fazem cantar no chuveiro, na caminhada ou no carro. Se John Mayer consegue tocar a quem o escuta, então que ele continue bebendo da mesma fonte. Os fãs agradecem.

Confira aqui, faixa, a faixa, o desenrolar de "Battle Studies" e clique nos títulos das canções para escutá-las:

1 - Heartbreak Warfare

Com uma sonoridade que lembra o U2 (principalmente no início da música), Heartbreak Warfare é uma mistura da sonoridade habitual do John Mayer com toques discretamente eletrônicos.

2 - All We Ever Do is Say Goodbye

Se você acompanha a carreira de John Mayer, irá notar que esta é uma canção tipicamente dele. Poderia ter sido gravada para qualquer um de seus discos, e se fosse gravada por outros artistas, reconheceríamos pela particularidade de suas letras e maneirismos de suas melodias.

3 - Half of My Heart

Definitivamente, se for enviada pras FMs, vai estourar. Rock leve, com uma pegada de guitarra bastante agradável de ouvir, e refrão chiclete. Impossível não cantarolar. Engulam a Taylor Swift e deixem de preconceito.

4 - Who Says

Quem surfa e é adepto do estilo Jack Johnson, não vai tirar essa música de sua lista de preferidas. Calminha, apenas com voz e violão.

5 - Perfectly Lonely

Arranjo animadinho e letra inteligente. Tão boa que não dá pra descrever. Mesmo.

6 - Assassin

Outra balada do cd, cuja letra descreve a surpresa que é ter seu coração roubado quando você achava que era imune. Daí a "Assassina" do título. A personagem descrita deixa o John na lona.

7 - Crossroads

Apesar de curta, tem um arranjo animado e uma bateria marcante. Nem parece tão pequena, depois que fica na sua mente.

8 - War of My Life

Balada um pouco mais acelerada, onde os graves dão o tom, numa letra onde uma reflexão a respeito da própria vida traz a importância de se seguir em frente em meio aos obstáculos que surgem.

9 - Edge of Desire

Outra balada, sendo que de ritmo mais lento... O tema aqui é a fome de ter alguém perto de você. Passeando por um arranjo deliciosamente preguiçoso, daqueles que você curte com alguém e não quer mais sair do lugar, a nona canção do disco é perfeita para atividades recreativas sentimentais.

10 - Do You Know Me

Voz e violão. Praticamente uma confissão ao pé do ouvido. Aqui, há duas pessoas que aparentemente nunca se cruzaram, mas o encontro os traz uma leve impressão de familiaridade. Centelha de afinidade?

11 - Friends, Lovers or Nothing

Música perfeita para fechar o ciclo do CD. Tem clima de última música, com arranjo eficiente e simples.


E QUE TAL GANHAR O NOVO CD "BATTLE STUDIES", DO JOHN MAYER?

É isso mesmo que você leu! A revista Cajumanga está dando o novo álbum do John Mayer! Para concorrer ao CD, basta seguir nosso perfil no Twitter e dar RT na mensagem da promoção! O sorteio ocorre no dia 10 de Fevereiro!

Boa sorte!


Juliano Mendes da Hora

Nenhum comentário:

Postar um comentário