domingo, 13 de dezembro de 2009

NAT KING COLE ESTÁ VIVO

Para muitos de nós, a música ouvida pelas gerações que nos antecederam podem não parecer atraentes aos nossos ouvidos. Claro! A música que vivenciamos nas últimas décadas foi produzida num contexto completamente diferente, num cenário onde não temos tempo para contemplá-la e degustá-la como deveríamos, transformando-a em mais um produto de consumo, fabricado em escala industrial, com estratégia planejada e prazo de validade, tal qual uma caixa de extrato de tomate na prateleira do supermercado.

Tanto é que já nos acostumamos a escutarmos a expressão "o hit do momento", que nos mostra o quão efêmero pode ser o tempo de vida de uma canção ou de um artista. Aliás, ser artista hoje em dia implica num trabalho tão árduo que fariam os doze realizados por Hércules parecerem um simples favor que você faz ao seu vizinho.

Por esses e outros motivos é que devemos comemorar todas as iniciativas que visem apresentar às novas gerações os sons produzidos outrora. E se isso implicar uma fusão entre os estilos atuais e os passados, melhor ainda: temos aí uma eficiente aula de educação cultural, ampliando horizontes e promovendo a quebra entre muros que separam gerações e fabricam preconceitos.

Prova disso é o álbum "Nat King Cole RE:GENERATIONS", da EMI, lançado recentemente no Brasil. Nesse disco, você vai finalmente entender por quê seus pais e companhia limitada se animam tanto ao ouvir os primeiros acordes do repertório deste que é um dos ícones da música popular norte-americana.



Se Nat King Cole fosse um artista desta geração, ele com certeza seria um daqueles que todo mundo estaria louco para fazer alguma parceria, tal qual acontece com produtores e cantores badalados que geram o maior burburinho a cada nova música que ecoam.

A idéia do disco é simples: Vários convidados foram chamados para remixar faixas consagradas, adicionando elementos eletrônicos e outros efeitos às músicas, sem perder a essência da versão original. Ou seja, os vocais e a linha melódica continuam os mesmos, porém com harmonias inusitadas em algumas, o que rende um sabor ainda mais especial às obras-primas. O desafio implícito numa tarefa que poderia ser simples como remixar uma canção, estava em fazer com que ela tivesse o mesmo impacto que causou à época em que a versão original foi lançada.

O resultado? Parece um disco de inéditas, pelo frescor e criatividade, com aquele gostinho familiar no final. Por exemplo: o produtor Cee-Lo adicionou uma batida de Drum n' bass à "Lush Life", sem tirar a versão orquestrada original. A filha de Nat King Cole também comparece em mais um dueto com o pai. Natalie Cole uniu-se a Will I Am do Black Eyed Peas para trazer um sabor mais pop em "Straighten Up and Fly Right".

A mistura de ritmos da carreira de Nat não foi esquecida, e aqui encontramos espaço para um tango eletrônico em "El Choclo", remix da banda nova-iorquina Brazilian Girls. A brasileira Bebel Gilberto faz um belíssimo dueto com o mito, numa versão elegante com fortes cores tropicais no remix de "Brazilian Love Song", remixada pelo produtor Michaelangelo L'Acqua. Já Damian Marley traz o calor da Jamaica para o disco, cantando com Nat num remix de "Calypso Blues", perfeita para festinhas entre amigos e bebidas lícitas de caráter recreativo.

Os fãs de Nat irão se surpreender com este novo trabalho, e quem não conhece a sua obra, se sentirá curioso para garimpar a sua trajetória. Saldo final: positívíssimo, ao promover o encontro de duas gerações da música, mostrando que não importam os hits e a batida do momento: A boa música é eterna. Vida longa a Nat King Cole.

Você pode conferir o Making Of do disco, com entrevistas com os cantores e produtores envolvidos e ainda ouvir as músicas, seguindo a série especial no YouTube:








FICHA TÉCNICA:
Disco - Nat King Cole RE:GENERATIONS
Gravadora - EMI
Preço - R$ 25,00, em média

Lista de músicas:
1. LUSH LIFE produced by CEE-LO GREEN
2. STRAIGHTEN UP AND FLY RIGHT produced by will.i.am fan site, featuring NATALIE COLE
3. DAY IN DAY OUT produced by CUT CHEMIST
4. BRAZILIAN LOVE SONG produced by MICHAELANGELO L'ACQUA, featuring BEBEL GILBERTO
5. THE GAME OF LOVE produced by SALAAM REMI, featuring NAS
6. WALKIN' MY BABY BACK HOME produced by THE ROOTS
7. HIT THAT JIVE, JACK! produced by SOULDIGGAZ featuring IZZA KIZZA
8. CALYPSO BLUES produced by and featuring DAMIAN "Jr. Gong" MARLEY & STEPHEN MARLEY
9. MORE & MORE OF YOUR AMOR produced by BITTER:SWEET
10. EL CHOCLO produced by BRAZILIAN GIRLS
11. PICK-UP produced by JUST BLAZE
12. ANYTIME, ANYDAY, ANYWHERE produced by AMP FIDDLER
13. NATURE BOY produced by TV ON THE RADIO

2 comentários:

  1. Realmente A boa música é eterna. Vida longa a Nat King Cole. Muito bom, eu particularmente desconhecia, vou me atentar mais a cultura de meus pais....rs Assim que eu começar a trabalhar farei campanhas aos remix de de meus antepassados. rsrs

    ResponderExcluir
  2. Pois este disco vale muito à pena! Recomendadíssimo, e corra, antes que ele saia de catálogo!

    ResponderExcluir